13 de abr de 2014

Lollapalooza 2014


Oi, prazer (: meu primeiro post aqui e é sobre o que eu mais amo: Festival! Me apresentando rapidinho... Meu nome é Túlio, sou amigo da Julie desde as antigas e sempre amamos música. Curso jornalismo na UFSJ e sim, pretendo seguir esse ramo do jornalismo cultural. Espero que curta meus posts aqui!

O Lollapalooza cresceu! E ganhou casa nova, patrocinador novo, trocou de produtora e esse ano se esforçou pra fazer a melhor das 3 edições. Atrações  mais do que maravilhosas acabaram por fazer certos pontos insignificantes e compensarem cada momento dentro do autódromo.

Ok, começando com os ‘prés’... de onde eu estava, tive que pegar 3 linhas de metrô, e a grande maioria acabou tendo que percorrer 10 estações da linha esmeralda. Vai dando um friozinho na barriga... no site dizia que depois do metrô havia uma caminhada de aproximadamente 6 minutos; Não incluia um morro e mais uns 10 pra se localizar dentro do evento.

O autódromo é do tamanho da minha cidade, e os palcos eram muito distantes entre si, nem cheguei a ir em todos por conta de conseguir um lugar legal nos shows rs.



O primeiro show que fui no sábado foi Capital Cities.
Eram 2 horas da tarde e o sol estava rachando a minha nuca... isso não impediu que eu pulasse e dançasse feito um louco. Um dos shows mais animados que já fui na vida! A essa hora o palco skol já estava lotado e inclusive muita gente chata queria guardar grade pra ver Muse; Isso não se faz em festival, mas enfim... mesmo assim foi lindo! Tocaram um cover da Madonna e tiraram todo mundo do chão com muita facilidade.

Depois foi a vez do Julian Casablancas... e posso dizer que 90% das pessoas ou confundiram com Strokes, ou esperavam Strokes, ou novamente estavam ali guardando lugar para o Muse sendo desagradáveis e tal... Julian deixou a desejar? Esses foram os comentários que ouvi... Até que não! O cara fez mil piadas, mandou bem nas músicas que apenas não são tão brilhantes quanto as dos Strokes. Mas rolou Take it or Leave it e Ize of the world, que arrancou o coro de geral.



Julian já disse que veria Phoenix, e acabou aparecendo lá no fundo durante o show dos franceses. Na minha opinião Phoenix foi o melhor show do dia... efeitos visuais deram um charme extra, a pista ali na frente lotada, meus movimentos eram involuntários e isso não foi muito legal.
O momento mais alto do show foi quando o Thomas pulou na galera e fez um mosh maravilhoso... sem medo de ser feliz, e eu dei a sorte maldita de participar disso tudo!!! Minhas preferidas foram  Lasso, Consolation Prizes e Trying to be Cool... Foi um show tocante, perfeito!! Seria melhor se durasse mais 1 hora e tal. Muito lotado, muito maravilhoso... dancei, pulei e gritei.


Acabando esse show eu fui comer/beber/existir, e quase cavei um buraco pra entrar... filas gigantes para apenas UM caixa que aceitava cartão... sim, UM em 5 aceitava cartão e além disso você pagava 9 reais por um copo de SKOL!!!!!!!@#$@%$#% (ano passado foi 8 o de Heineken), 15 reais em um hot pocket miúdo, 9 reais em um pastel de vento, sim havia um cardápio variado de porções miseráveis, ruins por preços pra lá de absurdos. Não era pra tanto!! As filas não existiam, eram amontoados de pessoas e ‘o mais forte que mate sua fome’-ou não.

Disclosure fechou a minha noite... não quis ver Muse, achei a banda BEM deslocada no festival. Ouvi que foi um show um pouco ruim, que o cara tava gripado e afins... já o Disclosure foi fantástico. Show de luzes, telão, efeitos e aquelas músicas bem animadas (: se eu não tivesse estourado os pés no Phoenix eu teria dançado mais.

A volta pra casa foi tumultuada demais... Imagine 70 mil pessoas andando no mesmo metrô em um espaço pequeno de tempo? Já passou da hora de SP abrir esse metrô 24h... Enfim, dormi 4 horas apenas e levantei pro segundo dia de show bem cedinho.

No segundo dia fui assistir Apanhador Só. Não conhecia a banda, amei as críticas no telão com imagens de protestos, políticos e afins, amei as músicas e não houve sol que quebrasse o nosso ânimo.


O show do Raimundos eu assisti patinando na pista de patinação com os meus amigos... só aí minha pilha caiu pela metade, tive que comer uma porção de batata dourada importada de Júpiter que custou 12 reais. Depois acabei esperando a tal da Ellie Goulding começar o show pra correr pro outro palco. Não curti muito a vibe dela, achei... Achei ruim. Rs

O palco do Vampire Weekend era maravilhoso... de frente pra um morro com a roda gigante no topo; na hora do show o sol estava se pondo, tudo ficou tão lindo que o show ficou melhor ainda. Concordo que o show deles é o tipo de show que você dança de leve ou estende uma tanga e assiste mais ‘de boa’... No meu caso eu dancei excessivamente e pulei bastante,rs, eu amo Vampire Weekend e depois de Arcade Fire era a única banda que queria ver durante o dia. Ezra brincou de falar português, o baixista rebolou pra gente, e o sol se foi... Faltou muita música mas não deixou o show menos bonito.


Nesse momento tive que virar The Flash e correr pro palco Skol pra ver o Pixies... Como de hábito, eles não deram a mínima pro público. Nem certo nem errado; a banda é assim e pronto. Mesmo com esse detalhe o Pixies tirou muita gente do chão. A galera tava animada e eu já sentia um friozinho na barriga pra ver Arcade Fire.

Esperei 1h30 no meio de um público completamente diferente do outro dia... Eu conseguia me mexer, respirar, conversar e claro que meu estômago já se revirava pelo headliner do dia.
O show do Arcade Fire não só conseguiu ser o melhor do festival como aumentou o meu respeito pela banda. Foi maravilhoso, foi emocionante, foi de ficar de queixo caído e em nenhum momento parar de pular e cantar e gritar e porra...................... Eles são tão fodas que até amar o Brasil eles fizeram de uma forma bonitinha... tocaram um setlist até grande... passaram da hora programada, cheios de energia e efeitos como um ser ‘reflektor’ no meio do povo e uma projeção da Régine  cantando que sinceramente acabou com a minha raça.


Saí de lá sem palavras, muito feliz, muito emocionado e até agora não consegui processar o festival por completo. Como já havia dito, as atrações em si compensaram todas as gafes e toda a falha na organização. Maravilhoso :3 já quero mais um festival assim que me deixe com amigdalite e dor nas pernas durante uma semana.



Os dois dias foram encerrados com fogos de artifício... aquilo foi lindo. Saudade é o sentimento mais definido e certeiro que fica em quem foi ao Lolla 2014... Os vídeos da TV são incapazes de mostrar o que realmente aconteceu ali naquele autódromo. Sentir o som tremer o chão que está pisando e ver na sua frente -aquela- banda que você tanto gosta NÃO tem preço e NÃO tem substituição.

(:

6 comentários:

  1. Nossa, imagino o quão deve ter sido sensacional *--*
    Ainda vou em uma edição, porque acho mega louco esse festival!

    Beijos, Tamy
    http://descoladavida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é *-* queria tanto ter ido, mas dessa vez não foi possível... Acompanhei um pouco pela Multishow, mas estar lá é outra coisa né? Amo sentir a energia de um show. Tanta gente reúnida por um único amor: MÚSICA! Acho isso muito lindo.

      Excluir
  2. Minha amiga foi e eu fiquei com uma invejinha branca (admito). Nunca tive a oportunidade ($$$$) de ir em festivais do gênero, mas o meu dia vai chegar! Rock in Rio, Planeta Atlântida e sonhando alto Tomorrowland aí vou eu haahahah Muito bom o post do seu amigo, e fiquei atenta a umas dicas nas entrelinhas, por exemplo levar comida ao invés de comprar lá e sair uns 20minutos antes de acabar pra não ficar no meio do tumulto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AUHAUAHAU I know the feeling... Também não pude ir pelo me$$$$mo motivo mas o meu dia também vai chegar. Muito obrigada, fico feliz que gostou do post do Tulio! Ele é um amigo muito querido, que também ama o mundo da música e sempre que pode vai a shows (e fará algumas resenhas/diversos textos interessantes pra gente). Que bom que sacou as dicas ;) também já estou atenta a todas! hehe
      Beijos!

      Excluir
  3. Primeiramente: Olá, Júlio. Cê é um gatinho, viu? Com todo respeito. Segundo: Apesar das atrações não terem me atraído muito, "conheci" a banda Cage The Elephant que tocou no primeiro dia e curti bastante. Claro que assisti pela TV. :( aff

    WWW.S-ALMEIDA.BLOGSPOT.COM.BR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também conheci Cage The Elephant na TV quando tocaram no primeiro dia do Lolla! haha sempre ouvia falar da banda mas nunca tinha parado para escutar. E olha, eu curti o som, dos caras!
      Beijooos

      Excluir

 
COPYRIGHT(c) | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
LAYOUT E PROGRAMAÇÃO DESIGNINGDREAMS | PROGRAMAÇÃO POR DESIGNINGDREAMS.